Clamídia

This guide in English Esta guía en Español
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

female gender symbolA clamídia é uma das doenças sexualmente transmissíveis (DST) mais comuns nos EUA. Ela é causada por uma bactéria que pode infectar a vagina, colo do útero, trompas de falópio, ânus, uretra ou olhos.

O quanto a clamídia é comum?

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), 1.422.976 casos de clamídia foram relatados em 2012 (nos Estados Unidos). Entretanto, existem muito mais pessoas infectadas pela clamídia sem que elas saibam desse diagnóstico, porque nunca apresentaram sintomas.

Quem é mais provável de ser infectado com clamídia?

A clamídia é mais comum entre:

  • Pessoas que têm mais de um parceiro sexual
  • Pessoas cujos parceiros sexuais têm mais de uma parceira
  • Pessoas que não usam preservativos
  • Pessoas com história de DST’s
  • Pessoas menores de 25 anos

Como a clamídia é transmitida?

A clamídia é transmitida de pessoa a pessoa durante relação sexual desprotegida. Ela posse ser transmitida através de sexo vaginal, anal ou oral. Ela também pode ser transmitida para o olho através da mão ou de outra parte corporal umedecida com secreção infectada. A clamídia pode ser transmitida de uma mulher infectada para o seu bebê. A clamídia não é transmitida pelo beijo, vaso sanitário, roupa de cama, maçanetas, piscinas, banheira de hidromassagem, banheiras, talheres ou roupas compartilhadas.

Quais são os sintomas da clamídia?

Cerca de 90% das mulheres e 70% dos homens com clamídia não apresentam nenhum sintoma. Se eles apresentarem sintomas, os sintomas aparecem em qualquer momento entre 1-3 semanas após a infecção.

Os sintomas da clamídia incluem:

  • Sangramento entre os períodos menstruais
  • Sangramento vaginal após relação sexual
  • Dor abdominal
  • Dor durante a relação sexual
  • Febre
  • Sensação de queimação ao urinar
  • Necessidade de urinar mais do que o usual
  • Um corrimento vaginal novo ou diferente
  • Dor, prurido, sangramento e/ou secreção mucosa do reto (para a clamídia anal)
  • Vermelhidão, prurido, e/ou secreção ocular (para a clamídia ocular)

Esses sintomas são similares aos sintomas da gonorréia, uma outra DST.

Onde eu posso ser testada e tratada para clamídia?

Você pode ser testada e tratada para clamídia em um centro de planejamento familiar, consultório médico particular, clínicas de DSTs, clínicas hospitalares e departamentos de saúde. Se você for menor do que 25 anos ou já teve relações sexuais, fale com seu médico sobre a possibilidade de ser testada para clamídia pelo menos uma vez por ano ou, mais frequentemente, se você trocar de parceiro sexual, ou se já contraiu clamídia ou outras doenças sexualmente transmissíveis.

Como a clamídia é diagnosticada?

Seu médico pode diagnosticar clamídia por teste urinário, vaginal ou do colo do útero. Você pode ser solicitada a coletar uma amostra de urina em um pote ou uma amostra de secreção vaginal com um cotonete. Seu médico poderá também coletar uma amostra vaginal ou do colo do útero através de um exame pélvico. É importante ser testada para saber se você tem gonorréia ou clamídia. Elas têm sintomas semelhantes , mas cada infecção necessita de um tratamento diferente. Se o teste voltar positivo para clamídia (tanto para você quanto para o seu parceiro), você também deverá realizar testes adicionais para verificar outras infecções possíveis.

Existe uma cura para a clamídia?

Sim. A clamídia é fácil de tratar e curar, mas lembre-se de que só porque você teve uma vez, não significa que você não terá novamente. É importante que você seja tratada precocemente para que problemas de saúde mais sérios não apareçam. Ambos os parceiros sexuais precisam ser tratados ao mesmo tempo para que vocês não se reinfectem. Seu médico lhe dará ou uma única dose de medicação (Azitromicina) para tomar no consultório antes que você saia, ou uma prescrição para seguir (Doxiciclina), que você deverá tomar 2 vezes ao dia, por 7 dias. Seu médico irá decidir qual medicação é melhor para você. Lembre-se de tomar todas as doses da medicação prescrita, mesmo se os sintomas desaparecerem antes. Isso porque a infecção poderá ainda estar no seu corpo.

A clamídia é perigosa?

Se a clamídia não for tratada, ela poderá causar sérios problemas de saúde. Ela pode causar dor na parte inferior do abdômen (barriga). A infecção geralmente começa no colo do útero, mas se não tratada, pode espalhar-se para as suas trompas de falópio e/ou ovários e causar doença inflamatória pélvica (DIP). 30% das clamídias não tratadas se tornam uma DIP. DIP pode levar a problemas de infertilidade ou de gestação ectópica ou tubária (gestação nas trompas de falópio). De acordo com o CDC, 10-15% das mulheres que têm clamídia não tratada terão sintomas de doença inflamatória pélvica (DIP).

Como eu posso prevenir a infecção pela clamídia?

Se você acha que tem clamídia, a primeira coisa que você deve fazer é parar de ter relação sexual, ser testada e tratada. Pergunte ao seu médico, se você pode obter uma prescrição para o seu parceiro, ou descubra se seu parceiro pode ser atendido pelo seu médico ou pelo dele para que seja tratado. Você precisa fazer com que todos os parceiros atuais ou antigos saibam que você tem clamídia (qualquer pessoa que você tenha tido relações vaginais, anais ou orais nos últimos 60 dias – ou os parceiros sexuais mais recentes). Você poderá achar que isso é difícil de fazer, mas é muito importante para que todos infectados possam ser tratados antes que problemas de saúde mais sérios possam ocorrer.

Você pode fazer isso de maneiras diferentes:

  • Você pode falar a ele(s) pessoalmente, pelo telefone ou mensagem de texto.
  • Você pode usar um aplicativo de notificação anônima, como: e-mail de um website confiável como o besiders.org. Esse website enviará um e-mail anônimo para o(s) seu(s) parceiro(s) sem nenhum custo. Outros websites, inspot.org irá enviar um texto anônimo para o(s) seu(s) parceiro(s).

Pesquisas mostraram que notificar seu parceiro(s) em tempo real ou pessoalmente é a melhor maneira de fazer com que seu(s) parceiro(s) se trate.

Lembre-se: Não tenha relações sexuais até que você termine seu tratamento, e seu médico diga que você está curada. Assegure-se de usar preservativos toda vez que você tenha sexo vaginal, anal ou oral.

Como eu posso evitar contrair clamídia?

A melhor maneira de evitar contrair clamídia é não mantendo relações sexuais. Entretanto, se você decidir manter relações sexuais, assegure-se de usar preservativo toda vez que você tiver sexo vaginal, anal ou oral.

Que tipos de métodos contraceptivos protegem contra a clamídia?

Os únicos tipos de métodos contraceptivos que protegem contra a clamídia são os preservativos masculinos de látex e poliuretano e os preservativos femininos. Os preservativos de látex são a melhor proteção contra a clamídia. Os preservativos de poliuretano e os preservativos femininos também possuem alguma proteção contra a clamídia.